16/09/2016

Socorro, vou viajar com um bebé

Durante a minha gravidez decidimos não ir para fora porque enfiar-me dentro de um avião é algo que me deixa muito ansiosa e eu queria ter uma gravidez calma e tinha medo que me acontecesse algo lá fora, por isso excluímos logo essa ideia. E durante a gravidez sempre pensei que viajar seria algo a retomar daqui a uns anos porque não me via a ir sem ele, nem a ir com ele! Era uma opção pacifica já que não faço questão de enfiar-me num avião e adoro o nosso lindo Portugal. Não me importa para onde vou, mas com quem vou!

Mas chegamos à conclusão que uma coisa não impede a outra, viajar com um bebé pode ser mais cansativo (só de pensar na logística deixa-me a suar!) mas acredito que muitas vezes somos nós que fazemos um bicho de sete cabeças com tudo. E ao contrário do que pensava, até acho melhor viajar com ele ainda bebé porque ainda faz duas sestas longas, é sossegado e ainda não anda para fugir de nós (lol). Quando ele for maiorzito logo ficamos por cá ou escolhemos destinos mais calmos (que não é de todo o meu tipo) ou deixamos com as avós (se conseguirmos e puderem!). Por agora, esta ultima hipótese estava fora de questão, ainda o achamos muito pequeno para cortar o cordão umbilical, não iríamos desfrutar plenamente das férias com o nosso coração em Portugal. Voltar a viajar a dois não está fora dos nossos planos, mas não por agora, ele ainda é tão pequenino. Ele pode não precisar de nós, mas nós precisamos tanto dele! :)

Nós gostamos de aventuras e vamos partir para mais uma. Até já!



15/09/2016

Eu e o calor ...

Dou graças a Deus por ter sido uma grávida de verão de 2015. Não contava engravidar logo, logo também não contava passar os últimos meses de gravidez em pleno verão. Nunca ouvi um cenário muito animador sobre gravidas no verão - "aí o calor", "as pernas inchadas", "as noites mal dormidas", "coitadas". Face a isso, não fiquei muito animada com o cenário, também eu já me sentia uma pobre coitada a pensar que iria penar muito, nunca me dei bem com o excesso de calor por isso comecei logo a rezar ao S. Pedro para me dar um verão amigo das grávidas, pouco abrasador (para odeiozinho dos amantes do calorzão! :)). Tive sorte. Muita sorte. O São Pedro parece ter ouvido as minhas preces. Não sofri de calores, sempre dormi bem (das melhores coisas que a gravidez me deu, nem a barriga incomodava!), nem de pés inchados ... Uma maravilha.

Eu tive uma boa experiência a todos os níveis, mas no inicio só via uma única vantagem: o vestuário, é muito mais fácil adaptar a roupa de verão - mais leve, fluída e elástica - à gravidez. Nunca comprei roupa própria para grávida. E ainda bem. Cheguei a ir às compras mais para o final mas não cheguei a estrear algumas peças enquanto grávida devido ao meu internamento, mas dei uso este ano. Foi uma opção acertada.

Espero que ninguém se tenha deslumbrado com o relato da minha experiência porque pode calhar em rifa um verão como o deste ano. Como costuma-se dizer, cuidado com aquilo que desejas ... Para mim, este verão foi um horror e não estive grávida! Tensões baixas, pés inchados, noites mal dormidas, correr para a casa de banho devido às litradas de água que bebia durante o dia ... Será que os sintomas vieram atrasados? Só sei que já estou farta deste verão, deste calor infernal. Não me batam, mas eu sou pessoa de meias-estações, de temperaturas amenas. Estou feliz por estes dias mais frescos. Estou feliz pelo Outono aí à porta. Já estava cansada de esperar pelo final do dia para sair com o pequeno, mais pela fresquinha (é para rir, as noites também foram quentes!). Muito calor também não é amigo dos mais pequenos e nós evitamos expôr-nos nas horas mais criticas. Até para sair este verão não foi amigo. Já estava farta. Que venha o Outono ...


14/09/2016

[Consulta 1 ano] Idade cronológica / ajustada

Fomos às consultas de 1 ano e estava tudo muito bem com o pequeno, está a crescer e a desenvolver-se como um bebé de termo. Aos três meses deu um pulo e a nível de crescimento (altura e peso) já ninguém diria que era um bebé prematuro, a nível de desenvolvimento só o tempo diria mas ele revelou-se um bebé muito desembaraçado. Hoje em dia já não faz muito sentido fazer essa diferenciação entre idade cronológica e corrigida mas os médicos são obrigados a acompanha-lo até aos 2/3 anos tendo em conta estes "parâmetros".

Cada criança tem o seu ritmo de crescimento, uma média de desenvolvimento não passa disso mesmo - uma média -, uns andam mais tarde, outros falam mais cedo, e esta diferenciação entre idade cronológica e corrigida serve para isso mesmo, é um critério que é logo esclarecida aos pais de bebés prematuros para não ficarem preocupados ou criarem falsas expectativas sobre o crescimento e desenvolvimento do seu bebé. Basicamente, a idade cronológica corresponde à idade que o bebé tem - a data do seu nascimento; e idade corrigida, a idade que ele deveria ter caso não tivesse nascido antes do tempo. Há que fazer este desconto para sermos justos no crescimento e desenvolvimento de um prematuro, só assim podemos compará-lo a um bebé de termo. E as pessoas não entendem isso, ninguém entende que alguns bebés são mais novos do que aquilo que o cartão de cidadão diz! 

Bebés quase de termo (35-36 semanas) não têm diferenças significativas, mas quanto maior for a prematuridade, mais essencial será ter em conta estes parâmetros. Muitas vezes não podemos esperar que um bebé prematuro com 9 meses cronologicos gatinhe, por ex, quando na realidade ele deveria ter menos uns dois ou três meses! Por exemplo, o meu filhote fez 1 ano em Agosto mas segundo a idade corrigida ele ainda tem 10 meses porque nasceu cerca de dois meses antes. (Ler melhor aqui). Apesar de tudo (e aproveitando para actualizar as gracinhas que ele vai adquirindo), o meu com 12 meses (que deveriam ser 10 meses!):

*Já gatinha com bastante agilidade e a alta velocidade! Começou aos 11 meses e já ninguém o pára;
* Mete-se de pé sozinho e dá passinhos para o lado agarrado às coisas;
* Trepa a nossa cama que é daquelas baixinhas;
* Pode comer de tudo como nós adultos. Tive de perguntar: "e sushi, pode comer?" LOL. Mas também deveria ter perguntado "e comida de gato?" É um perigo!
* Gosta de imitar os adultos e de ter autonomia. Já vai preferindo beber a água pelo copo (mesmo molhando-se mais do que aquilo que bebe) e agarrar a comida com as mãos para ser ele a levar à boca (mesmo acabando todo chafurdado)
* É tão autónomo que a enfermeira do centro de saúde falou em desfralde ... ME-DO! Mas a pediatra do público disse que era muito cedo, normalmente é só aos 2 anos e meio e é quando é ... Fiquei mais descansada porque só contava ter essa dor de cabeça precisamente para o ano, por essa idade. Não estava a ver tirar-lhe a fralda sem ele saber falar sequer!!!
* Imita-nos. Aprendeu a imitar um espirro e é vê-lo gargalhar. Ele vai adorar o inverno e ver o pessoal todo doente ...

05/09/2016

A saga do baptizado

Nestes últimos meses tenho andado mais ausente devido à organização da primeira festa de aniversário e do baptizado do príncipe cá de casa. Eu cá não sou moça de falar nas coisas com muito tempo de antecedência - superstições cá minhas - mas já ando nisto há alguns meses porque preparar duas festas em menos de um mês é dose! Uffa. O mais prático seria fazer um 2 em 1 mas não queria misturar duas datas importantes. Ainda para mais quando uma data que me é muito especial calhou mesmo bem este ano para realizar a festa de baptizado :)
Pode parecer estranho, mas organizar o meu casamento foi muito mais fácil ... Como sou mulher de ideias fixas, sei muito bem aquilo que quero, tanto posso ter a sorte de encontrar logo aquilo que idealizei, como posso ter o azar de procurar, procurar e nada. E organizar este baptizado tem sido uma missão quase impossível. Os grandes itens da lista só foram riscados na última semana de Agosto, tem sido uma correria para encontrar aquilo que quero a tempo e horas.

* O fato e sapatos: Queria algo especial para esse dia mas que não fosse muito caro, afinal irá vestir o fatinho uma única vez e não queria ser um grande encargo para os padrinhos que se prontificaram a oferecer tudo o que fosse para o menino. Foi difícil, procurei muito em lojas convencionais mas mais finas e nada. Não achei nada que fosse especial para esse dia. Já desanimada decidi ir a uma loja de especialidade (vestidos de noivas e festas), pronta a largar uma nota preta mas tive a surpresa da minha vida. Tinha exactamente aquilo que queria a um preço muito simpático. Como comprei nos finais de Agosto, fins de colecção, apanhei um mega descontão! Para além disso, a senhora disse-me que os fatos próprios para baptizados estão a cair em desuso, apenas irão vender roupa "normal" de cerimónia, então estão a despachar o que têm. Foi um verdadeiro achado.
Com a nova colecção Outono/Inverno já nas lojas e com um pé muito delicado do meu menino (nº18), foi muito difícil encontrar um sapatinho claro. Nem na loja de especialidade escapei-me. Só encontrei na Capital ... o último par! Foi uma sorte.

* O conjunto de vela, toalha e concha: Nem a madrinha que foi de férias para a terra dela que têm muita coisa para baptizados encontrou aquilo que queria: algo muito simples! Era tudo mais do mesmo: fios, brilhantes, florzinhas ... Lá lembrei-me de uma loja que cheguei a visitar na altura do meu casamento e que faziam coisas personalizadas para encomendar o conjunto. Mandei personalizar para obter algo assim muito simples!

* O fotografo: Infelizmente o nosso fotografo de casamento e de outras ocasiões já tinha o nosso dia preenchido e tem sido uma saga para encontrar outro profissional com o mesmo registo. Basicamente só tenho encontrado registos à la Pinterest, como lhe chamo, sessões muito padronizadas, muita posse, tudo mais do mesmo. Um enjoou. Como não queria ficar com recordações iguais a mais não sei quantas famílias já tinha desistido de ter fotografo, não estava para pagar por um serviço chapa-cinco. Mas depois comecei a pensar e acho que iria arrepender-me de não ter um serviço profissional e à última da hora lá encontrei alguém que me pareceu preencher os meus requisitos: um registo simples e natural do evento. Só isso.

Foi difícil mas o mais importante já está encaminhado. Já posso suspirar de alívio.