01/02/2016

30º Aniversário - retrospectivas


Não tinha nenhuma lista de objectivos ao estilo «o que fazer antes dos 30» porque já me deixei de fazer planos a longo prazo. Estes 30 anos ensinaram-me que isso não faz sentido nenhum porque a vida vai mudando e nós também. Os melhores objectivos que alcançamos na vida são aqueles mais espontâneos, os que surgem com o nosso crescimento, não são aqueles que estão a criar mofo numa folha de papel que foi escrita há não sei quantos anos e que muitas vezes já não fazem sentido. Amadurecer é isto, deixar para trás o que já não faz sentido e lutar por coisas novas, de mudar o nosso rumo. Cheguei aos 30 com uma vida completamente diferente daquela que projectei há 10 anos mas com a qual desejei ao longo deste caminho, a que foi ganhando sentido e que me deixa realizada. Casar e ter filhos não estava nos meus planos mas foram o marco mais importante da minha vida.

É bom olhar para trás, em jeito de retrospectiva, e ver tudo o que já conquistei, não me posso queixar de todo, mas melhor ainda é focar-me no presente e estar satisfeita com o todo, de ter chegado aonde cheguei, de orgulhar-me do meu percurso, e de ter aprendido tanto nesta jornada da vida. Muito mais importante do que «ter», é «ser», coisa que não vejo muito na minha geração e na mais nova, e algo que quero transmitir desde cedo ao meu filho.  Cumprir objectivos faz bem ao ego, demonstra que somos capazes de algo, mas ser feliz com o que temos, sem vivermos obcecados em cumprir metas ou a comparar-nos/competir com alguém, faz muito melhor à alma. É por isso quando olho para trás não perco tempo em enumerar tudo o que já conquistei, mas sim com o que já aprendi, o que já mudei e de saber que tenho ainda um longo caminho pela frente. Ser mãe ajuda-me a não perder o foco deste meu caminho: ser a melhor versão de mim mesma, ser um bom exemplo para o meu filho.

Sinto-me um pouco assustada com a velocidade com que o tempo voa, não com medo de envelhecer mas com medo de não aproveitar bem todos os momentos (principalmente agora que sou mãe e vejo-o a crescer do dia para a noite), mas entro numa nova década de coração cheio por ter chegado a esta idade e não ter muita coisa a pedir, mas sim a agradecer. E se há coisa que agradeço muito, é ter condições e o apoio do meu marido para ser mãe a tempo inteiro até quando desejar, de ter a oportunidade de ser eu a ver as suas primeiras gracinhas e pequenas conquistas, de não deixar escapar nada. De ter todo o tempo do mundo para registar esta fase tão especial.

O que não me matou até aqui, tornou-me mais forte. Aprendi (e continuo a aprender) com os meus erros, e por cada chapada da vida aprendi a ser mais forte e a retirar sempre uma lição - as pedras do meu caminho servirão apenas para as bases do meu castelo e não para me calejarem os pés! Sinto-me cheia de garra para enfrentar o futuro, com mais confiança, maturidade e determinação (apesar de continuar com a mesma carinha de miúda!), continuo cheia de sonhos mas com os pés bem assentes na terra. Que venha uma nova década, estou pronta!

[Obrigada às minhas pessoas especiais por tornarem este dia ainda mais especial. Obrigada pelas surpresas]

10 comentários:

Gorduchita disse...

:)
Uma bela reflexão! Parabéns!

Moa disse...

Muitos Parabéns! ;)

Diana Machado disse...

adorei ler, muitos parabéns, que venham mais anos de alegrias, de experiências e de emoções, beijinhos!

Maria do Mundo disse...

Belo post e parabéns.

Maria disse...

Parabeeeeeeeeens :)

O Quarto da Maria disse...

Muitos parabéns!!!! Bem-vinda aos "intas" (feitos no ano passado). E não, não adianta muitos planos porque o que sai na hora é que é o melhor ;)

ML disse...

Os meus sinceros parabéns! E que seja um ano cheio de coisas boas!

A Pimenta* disse...

Antes de mais, parabéns atrasados! Este ano também entro nos 30 e confesso que isso não me assusta. Já o disse no meu blogue. Fazer 30 anos e saber que as coisas estão no devido lugar (muito melhor do que pensava eu que estariam quando tinha 20 anos) faz-me não ter medo de chegar a esta idade.

AMOR XXS disse...

Muito obrigada a todas :)

Cá de Casa disse...

Palavras sábias!
Às vezes assusta-me um pouco o mundo onde estou a criar o meu filho mas tenho esperança :)

O bolo estava lindíssimo!

Beijinhos,
Carolina